Mais lidas

16 de dezembro de 2015
[ENTREVISTA] – O Crescimento Destemido de Suzy
Carolina Oliveira postou isto

11

O filme “The Sound of a Flower” é a história de Jin Chae-seon, a primeira cantora Pansori feminina de Joseon. Bae Suzy debutou em 2010 com o grupo Miss A e alcançou o sucesso atuando e cantando ao mesmo tempo.

A história da criança que sonhava em cantar é exatamente a história da menina Suzy, de Gwangju,  que também sonhava em ser um cantora. Suzy disse: “Quando eu li o roteiro, não foi difícil ter os mesmo sentimentos da personagem. Eu pensei em mim mesma enquanto estava em treinamento na JYP e eu relacionei meus tempos difíceis com os que a personagem passou”.

Suzy se tornou ” O primeiro amor da Nação” em seu primeiro filme “Arquiteture 101″, mas esta é a primeira vez em que ela está estrelando um filme de grande responsabilidade sobre ela. É como se ela tivesse herdado a ousadia de Jin Chae-seon enquanto cantava por 10 horas na chuva. Suzy tentou não pensar a respeito do filme ” Seopyeonje” , que é um filme clássimo Pansori, porque se sentiria pressionada.

Q: Como foi o filme?
Suzy: Existem algumas partes que eu gostaria de ter feito melhor, porém  fiz o meu melhor para que eu me sintisse bem sobre isso. Meu rosto aparece um pouco inchado no início. Eu senti essa diferença um semestre após terminar o filme.

Q:  Parece que você não está usando maquiagem no inicio.

Suzy: Eu tive minhas sobrancelhas desenhadas para ter aparência leve. No entanto, a maquiagem escura do meu rosto cobriu tudo. As espinhas eram reais. Eu sabia que ia ficar desta forma. Fiquei com a aparência inocente e pura. O estranho é que, como eu me vestida como  Jin Chae-seon, eu andava e falava como ela. Eu estava sendo capaz de me concentrar em apenas ser ela.

Q: Cantar Pansori é diferente de cantar normalmente, você se sentiu pressionada?
Suzy: Claro que me senti. Eu queria estar no filme, mas pansori foi uma dificuldade. Eu me senti pressionada porque tinha que fazer isso perfeitamente, já que estaria interpretando a primeira cantora de pansori feminina. No entanto, eu me aprofundei cada vez mais na personagem. Eu queria apenas experimentar, mas foi totalmente diferente e eu percebi que estava aprendendo. Eu tive um colapso mental, então eu apenas tentei mais e mais.

Q: Você pensou a respeito de “Seopyeonje”?
Suzy: Eu sabia do que se tratava, mas eu pensei que os dois filmes eram diferentes. Eu não pensei muito sobre “Seopyeonje”.

Q: Did it help to learn Pansori as a member of Miss A?
Suzy: Eu acho que aprender Pansori ajudou muito e eu gostaria de aprender mais, se houvesse uma chance.

Q: Qual foi a cena mais difícil?
Suzy: A cena que eu gritei na chuva. Eu gritei por 10 horas. Minha cabeça doeu e minha pressão arterial subiu para a cabeça. Eu pensei que ia morrer. Era como estar de cabeça para baixo, mas eu não queria fingir isso e fazer parecer óbvio na tela. Sinto que cresci, aprendi e amadureci muito nesse filme.

asi9sia9si

Q: Há respeito do romance que você experimentou com o Shin Jae-hyo, interpretado por Ryoo Seung-Ryong que é o seu mestre, houve alguma dificuldade?
Suzy: Sem dificuldades. Ele foi bom para mim e me fez sentir confortável. Foi muito reconfortante. Eu confiava muito nele. Eu realmente senti suas palavras quando ele ia me cumprimentar. Quando eu consegui o número dele, eu salvei como “Shin Jae-hyo” e o chamei de mestre no set de filmagens.
Eu aprendi a postura de Ryoo Seung-Ryong. Seu roteiro é todo bagunçado e confuso,já que ele usou tanto e rabiscou tanto nele, que com isso aprendi com ele e decidi rabiscar meu roteiro também.

Q: Havia uma linha emocional estranha entre vocês dois.
Suzy: Acho que foi um monte de coisas para Chae-seon. Ela respeitava o mestre que a reconheceu e o amava. Acho que suas emoções eram um pouco de tudo. Admiração também é uma parte do amor, mas eles não poderiam ser tão livres sobre as suas emoções porque era uma estudante e um mestre.

Q: Você pensou sobre o seu verdadeiro mestre Park Jin-young?
Suzy: Não em tudo (risos). Eu respeito Park Jin-young também. Ele cuida de mim em todos os sentidos, várias vezes, eu me pergunto se isso é o certo. Ele é um humano único. Fico espantada com a forma como ele se apresenta no palco e quando ele está praticando.

Q: Chae-seon é apaixonada e inocente. Você acha que vocês duas são?
Suzy: Eu acho que há um pouco de mim na personagem. Eu estou atuando a Jin Chae-seon. Uma pessoa tem muitos lados. Eu não sou tão forte de cabeça, há menos de Chae-seon em mim agora, mas me tornei mais forte de cabeça para a personagem.
Chae-seon mostra um monte de emoções em seu rosto e eu não.

iajsaijs

Q: Havia muitos “closes” (quando a câmera foca no personagem)
Suzy: Eu gosto disso. O produtor fechava em cima de mim nas cenas importantes. Isso faz com que minhas emoções sejam transmitidas com mais nitidez .

Q: Este é seu primeiro filme desde “Arquitetura 101”, é um desafio para você?
Suzy: Havia outra razão para eu escolher isso, mas eu realmente queria fazer o filme depois que eu li o roteiro. Eu sabia que tinha que fazer isso. Lembro-me de algo quente em meu coração quando eu o li.

Q: O Apelido ‘Primeiro Amor da Nação’ não te incomoda?
Suzy: É um grande apelido, mas é algo que eu tenho que superar. Se eu fico pensando sobre a imagem que isso tráz de mim, então eu não posso fazer mais nada. Eu quero mostrar a todos que eu tenho lados diferentes de mim mesma também. Eu não planejo viver como ‘Primeiro Amor da Nação’ para sempre.

Q: Qual apelido você quer para este filme?
Suzy: Eu pensei muito sobre isso, mas eu não sei. Não existe uma palavra apropriada para mim mesma neste momento.

assakaoks

Q: Parece que sua imagem como atriz tornou-se mais forte do que quando você fez “Arquitetura 101”
Suzy: Eu ainda sou brincalhona dentro de mim. No entanto, eu acho que eu tenho crescido e amadurecido.

Q: Você é atriz e cantora ao mesmo tempo.
Suzy: Eu tento ser um, sem envolver o outro. Eu poderia parecer gananciosa, mas há tanta coisa que eu gostaria de fazer e mostrar. Eu quero arranjar tempo para fazer tudo isso.

Q: “O som de uma flor” vai provar o seu poder de bilheteria, alguma pressão?
Suzy: Eu não acho que havia alguma até agora. Seria ótimo se o filme fosse bem-sucedido, mas mesmo se isso acontecer, ainda não é o meu precioso trabalho. Era uma chance de amadurecer profissionalmente. Eu cantava como se eu estivesse entregando uma mensagem e não apenas cantando. Espero que ela chegue ao público.

Q: Você estará estrelando em “Uncontrollably Fond” em breve
Suzy: Ainda não começou, mas eu vou ser uma produtora de documentários no filme, com um caráter intrometido, que cuida muito das coisas e está sempre ocupada para os outros. Ela está manchada pela realidade, é miserável e tudo isso.

 

Cr: star.moneytoday.co.kr
Trad.PT-BR: miss A Brazil
*NÃO Retirar sem TODOS os Créditos

 

Comentários
                                                            Miss A Brazil        Todos os direitos reservados ©‎ 2012-2016